DR. PAULO ROBERTO SILVEIRA

VIVO DE AJUDAR AS PESSOAS  A AMENIZAREM  OS SOFRIMENTOS  DO CORPO E DA ALMA.

Meu Diário
25/08/2009 20h52
A TERÇA FEIRA GORDA ( AMOR DE CARNAVAL)
Em pleno carnaval dos idos dos anos 70, estava com 19 anos e com muita disposição, e, para variar pouco dinheiro, mas, como sou brasileiro e não desisto nunca, consegui um tempo de férias , para uma semana na terra onde sempre me dou bem, estou falando do carnaval do Sul de Minas, onde meus avos e tios e primos tem residencia fixa naquela epoca pois hoje todos , moram em São Jose dos Campos, SP, trata-se da cidade de São Sebastião do Campo Verde. Cidade pacífica,famosa pela sua água mineral, sua comída típica, com seu povo ordeiro e trabalhador e suas mulheres... Há ... as mulheres!.Reunidos na única praça central uma multidão se acotovelam, pois alem dos nativos a cidade recebia visitantes de outras cercanias, que eram denominados de veranistas, pois o carnaval da cidade é muito animado e famoso por todo aquele sertão de meu Deus.
Já logo no primeiro dia, tinha bebido todas e estava num cordão de bloco de sujos, quando avistei pela primeira vez a criatura dos meus sonhos! Rapaz, é muita areia para o meu caminhão, ela estava parada no canto da praça, vestia uma fantasia de dark, mini saia de couro preta e justa deixando todas aquelas formosa pernas e coxas de fora , com uma blusa de malha tambem preta deixando ver os contornos dos seios fartos e duros. Era clara com olhos misteriosos, e longos cabelos negros e com uma maquiagem bem feita que a favorecia na idade, mas pelos vistos ja passava dos trinta. Epolgado e cheio de disposição tomei-a pela cintura e suavemente fui conduzindo-a para o centro da praça onde a festa rolava solta ao som das musicas tipicas da epoca. Ela permetia todos os tipos de intimidades menos os finalmentes, isso me levava a loucura. Perguntei aos meus primos se eles conheciam aquela belezura e a resposta era negativa,devia ser alguma criatura de fora, pois ninguem a tinha visto antes. Quando a noite estava para terminar , exaustos de dançar e de nos acariciar e tudo mais, pedi para acompanhá-la a sua casa, o que, prontamente aceitou mas com uma condição: - Só ate determinado ponto, onde então seguiria só.
Prontamente aceitei, e , conforme combinado , eu a acompanhei ao local onde seria a sua residencia, tratava-se de um bairro no centro da cidade, com um subida ingreme e cansativa para quem não estava acostumado,    que teminava no cruzeiro da cidade. O acordo foi cumprido, levei-a ate o meio do caminho onde entre abraços e beijos, quase fomos aos finalmente, mas ela com doçura me continha e com um beijo apaixonado de despedida, nos separamos, ficando eu, só, oberservado ela subindo e desaparecendo no nevoeiro, frio e humido comum naquela região montanhosa, encravada num vale cercado pela serra das águas.
Não precisa nem falar que todos os dias de carnaval nos encontramos e sempre era aquela loucura, e não me conformando em não saber dos antecedentes dessa misteriosa dama, pedi ao Pudim de Pinxe, um misto de armário e guindaste que passasse um pente fino no pedaço e o resultado foi negativo, ele percorreu o local que eu indicara ser mais ou menos a moradia da criatura, mas sempre o resultado era o mesmo, ninguem sabia de nada. Só tinha um jeito, eu deveria por mim mesmo confirmar onde morava a minha dama de preto.
E no útimo dia de carnaval, ao levá-la a casa , eu iria tomando coragem e desrespeitando o trato, iri atras dela de qualquer jeito, pois estava em plena forma física e um tiro de corrida seria fácil para mim. Seria possivel que eu iria de qualquer jeito descobrir o segredo tão bem guardado, pois ninguem da cidade que eu perguntei nada sabia sobre ela, de onde vinha e para onde ia, muito menos onde morava.
 Naquela madrugada do ultimo dia de carnaval , no local de costume, ao me despedir,notei em seus olhos um misto de paixão, tristeza e saudade, como se estivessemos nos despedindo para sempre e entre abraços e beijos percebi súbitamente, que não sabia nem o nome, quando acrabunhado perguntei : Como te chamas ? Ela riu e disse : Eu sou : a flor do amanhã, o orvalho da noite, pode me chamar de...AMOR e quando ela ja estava desaparecendo no alto da colina, no nevoeiro da madrugada eu dei uma corrida, e num estante estava la no alto bem perto dela... mas não havia ninguem ... nem casas... nem.. nada... só o cruzeiro da cidade...e o silêncio... então entedi tudo pois observando uma pequena cruz ao pe do cruzeiro estava a inscrição : A. AMOR, NASCIDA 22 DE MARÇO DE 1825 E MORTA EM 1850 ... A TIROS EM PLENA TERÇA FEIRA DE CARNAVAL... A TERÇA FEIRA GORDA! ASSASSINADA...POR UM DESCONHECIDO...NUMA CRISE DE CIUMES....
Fiquei paralizado, sem entender nada, minha cabeça rodava, e incrédulo matutavo comigo mesmo, isso não pode estar acontecendo comigo, isto é um sonho e devo acordar a qualquer momento, então ao me aproximar , vi uma foto desbotada e antiga. Pude então perceber ser a mesma pessoa, que havia me proporcionado uns dos melhores carnavais da minha vida... 
 

Publicado por PAULO ROBERTO SILVEIRA em 25/08/2009 às 20h52
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/08/2009 20h49
A SALA DOS PASSOS PERDIDOS. ( 0 ENCONTRO NO HOSPITAL!)
Uma certa vez, estamos, eu , e um grupo de especialistas médicos na sala dos passos perdidos, um corredor ,que fica estratégicamente entre as tres salas de atendimento de emergência do Hospital Estadual Getulio Vargas: das crianças,dos adultos ( homens de um lado e mulheres do outro) tendo ao fundo a sala de Repouso onde os pacientes ficavam as vezes dias aguardando vaga nas enfermerias nos Andares superiores , pois a Emergencia ficava localizada no andar térreo. O papo corria animado e descontraido (umas das maneiras de aliviar a tensão de um platão de emergência de um grande Pronto Socorro onde tudo pode acontencer a qualquer momento!). De repente um homem... destacando-se da multidão, com cerca de 35 anos, lúcido, orientado com marcha neurlógica atípica, e, dirigindo-se firmemente e descidido ao grupo de médicos perguntou:
- Bom dia!, quem é do senhores o Dr Paulo Roberto Silveira o neurocirugião dessa equipe? ( a equipe Flavio Novaes, trabalha ás 5ª feiras das 8:00 ás 20:00hs e aos domingos das 20:00 hs ás 8:00hs), eu sobresaindo-me me apresentei! Sou eu! e com uma pontinha de orgulho, o senhor por acaso é algum paciente que eu operei?
- Não senhor doutor, eu sou aquele paciente que o senhor me avisou que o meu caso apesar de grave e os outros médicos das outras equipes insitirem em querer me operar, RESOLUTO O SR AFIRMOU QUE O MEU CASO NÃO ERA CIRÚRGICO! QUE EU MELHORARIA SO COM O TRATAMENTO DE REMEDIOS QUE O SR IRIA ME DAR! EU TOMEI TODOS OS SEUS REMEDIOS E FIQUEI BOM, VIM AQUI SÓMENTE PARA QUE O SENHOR VISSE COMO FIQUEI CURADO! E LOGICAMENTE AGRADECÊ-LO. MUITO OBRIGRADO E QUE DEUS CONSERVE A SUA COMPETENCIA, INTELIGÊNCIA E DEDICAÇÃO AOS PACIENTES!
 Silêncio total e depois a rizada foi geral ! E veio logo um gozador falando:
- SÓ PODIA SER UM DOENTE QUE O PAULÃO NÃO OPEROU! POIS TODOS QUE ELE OPERA OU MORRE OU FICA TODO TRONCHO OU MALUCO! ( È... a gente tem que ouvir e conviver com isso

Publicado por PAULO ROBERTO SILVEIRA em 25/08/2009 às 20h49
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/08/2009 20h45
O AGRADECIMENTO PELA VIDA.( A ROSA BRANCA)
Ao chegar para mais um plantão, uma linda manha nos idos de 1979 como neurocirugião do Staff, titular todas as quintas das 8:00 ás 20:00 e aos domingos das 20:00 ás 8:00 , num dos maiores hospitais de emergência na zona norte do Rio de Janeiro, o Hospital Estadual Getúlio Vargas, no bairro da Penha, nessa manha de quinta feira como todas as outras, passando as visitas de praxe nas abarrotadas salas de atendimento: na seguinte ordem, primeiro sala das crianças, das mulheres e dos homens e enfermarias dos pacientes internados na mesma ordem, deparei-me com um caso que me chamou atenção.
Menor,sexo femino, RK, com 3 anos, com historia de devido estado febril ia no colo da mãe, erradamente no banco dianteiro do carro Fiat 147, pilotado pelo pai, em direção de socorro medicoBrasil , junto a linha divisória de onibus, quando súbitamente, projetado pelo pneu trazeiro de veículo não identificado, um tijolo delimiador, como uma bala, atingiu o vidro dianteiro e consequentemente explodiu na região frontal esquerda da criança. Examinando a crianca constatei a gravidade do caso . Uma ferida com perda de massa encefálica, regiao frontal esquerda, em coma profundo, pupilas midriáticase fixas, reflexos osteotendinoso em descerebração, reflexo cutaneo plantar com sinal de Babinski bilateral, indicando grave sofrimento cerebral. A decisão foi de encaminhar imediatamente ao Centro Cirúrgico, dando entrada ás 8:20 , sendo feito homeostasia e limpeza mecânica na area de afundamento frontal, craniectomia e lobectometia frontal esquerda e retirada de uma porção tendinea do joelho direito denominada fascia lata, com auxilio do cirurgião geral, que foi cuidadosamente suturada no lugar da extensa porção da menínge, uma espécie de membrana que envolve o cérebro, procedimento denominado de meningeoplastia. A cirurgia durou cerca de 8 horas, tendo terminado ás 16:30 com a paciente removida para o Centro de Tratamento Intensivo. No final do plantão ao ser examinada, os reflexos neurologicos haviam melhorado bem como das funçoes vitais, mas continuava em coma.
No plantão seguinte , no domingo a noite,soube, que por ter um plano de saúde ,a menininha fora removido para um outro hospital, assim liberando um precioso leito hospitalar para quem dele fosse necessitar.
Cerca de dois meses depois, por coincidencia numa manhã de quinta feira, fui chamado para atender a sala de crianças, e lá chegando deparo-me com RK, agora recuperada, com um pequeno curativo na região frontal e toda vestida de branco e com uma rosa branca em suas mãozinhas, veio correndo ao meu encontro e atirando-se nos meus braços, oferecendo a rosa branca dizia:
- BRIGADA DOUTÕ!
- DE NADA!
Disfarçando uma lágrima teimosa e incoveniente que se me aflorava dos olhos, só pude me lembrar daquele historia do novo testamento quando leproso , agradecido por ter sido curado voltou para agradecer, em detrimento de dos outros que tambem haviam recebido a mesma graça.
Essa paciente , foi atendida no meu consultorio particular , por opcao unica da familia, por anos a fio, sendo me enviada a todos aniversarios uma foto dela ate a idade adulta, totalmente recuperada e atualmente casada e com filhos. Ha sim a profissao dela professora de educacao fisica, e , professora de Ballet, sim, ela e bailarina.
ATE HOJO GUARDO ENTRE MEUS GUARDADOS A ROSA BRANCA E NA MEMORIA O AGRADECIMENTO QUE ME FEZ CHORAR DE EMOCAO, POR QUE NAO HOMEM TAMBEM CHORA, E , CLARO COM MODERACAO... ENFIM:
 BRIGADA DOUTÕ! POR TER SALVADO A MINHA VIDA!
- DE NADA!

Publicado por PAULO ROBERTO SILVEIRA em 25/08/2009 às 20h45
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/08/2009 20h42
A BOA NOTICIA DO PLANTÃO. ( A GOSTOSA!)
              A BOA NOTICIA DO PLANTÃO
 
Quando cheguei naquela quinta feira ás 8:00 Hs no plantão onde era o único Médico do Staff na especialidade de Neurocirugia, nosso plantão era quinta de dia das 8:00 ás 20:00 e domingo á noite das 20:00 ás 8:00 da manhã de segunda feira, o chefe da equipe anterior que estava no batente desde as 20 :00 hs da noite de quarta feira ate as manha de quinta, estava entregando o plantão me esperava ansiosamente em pleno estacionamento do Hospital Estadual Getulio Vargas na Penha zona norte do Rio de Janeiro, com aquele olhar esbugalhado, misto de cansado , desesperado e por que não aliviado. Pois além de ser o neurocirugião de Plantão era o substituto do Chefe de Equipe que estava de Férias. Duas cruzes, pesadas e bota peso nisto, a de chefe de equipe em exercício e a de único neurocirugião, ja ha cinco anos.
- Aí Paulão... o negócio está complicado prá gente... meu irmão...! Tem uma ambulância dos Bombeiros, que acaba de chegar, trazendo vários politraumatizados, acho que o onibus inteiro tá ai, fora o morista e os caronas da carreta. Tudo proveniente de um acidente acorrido agora pela manhã, na Avenida Brasil. Parece que uma carreta saiu da pista e bateu de frente com um onibus lotado. Os cirurgiões já examinaram e falaram que é tudo contigo meu brother! Estão todos na sala de politraumatizados 15 homens , 13 mulheres e 07 crianças, todos com Traumatismo Craneo Encefalico (TCE) graves, e Traumatizados da Coluna ( TRM) graves, alguns precisaram ser entubados. Mas como miséria pouca é conversa fiada, já tens dois baleados de craneo na sala de homens, parece que um é PM, já viu né daqui a pouco esta o batalhão inteiro tá no pedaço te enchedo o saco, e o outro, um perigoso traficante de uma favela aqui perto eu acho que o morro do Alemão, eu se fosse você, ou botava logo no centro cirúrgico ou transferia o cara para o Souza Aguiar ou qualquer outro lugar onde haja escolta armada e bota armada nisto ! pois não temos segurança, nem posto policial atuante no hospital. Na sala de mulheres dois TCEs (Traumatismo Craneo Encefalico) aguardando sua avaliação eu acho que os dois são cirúrgicos pois estão com o cérebro saindo pelo orifício do trauma se espalhando para tudo que é lado. E de quebra tem uma acadêmica, proveniente do Hospital da Posse em Nova Iguaçu com uma criança de uns 5 anos com historia cefaleia, rigidez de nuca, vomitos e jato e esta em opstotomo continuo, não precisa nem ser neuro, para diagnosticar uma menigite braba, daquelas meningocicas escaranlhantes, contaminando tudo ate alma de quem chegar perto, para você puncionar e dar destino... No Hospital de São Sebastião no Caju, ( Hospital do Estado que atende doença infectocontagiosas) aliás este hospital esta prestes a se fechar ( o que realmete iria acontencer) . Olha a academica disse que já passou lá mas estão de greve e mandaram pra cá que tem neuro de plantão e condições de atender o paciente, ou seja você negão... Bom plantão e que a terra lhe seja leve.
Há... ia me esquecendo: acabaram as roupas do Centro Cirúrgico e o Anestesita da minha equipe se mandou depois da décima cirurgia direta uma atras da outra, pois o bicho pegou mesmo, estressado e arracando os últimos fios de cabelo ( como voce sabe o Jacó o anestesista é pouca telha) e para piorar o anestesista da tua ainda nem sombra do cara. Você vai encontrar alguns pacientes acondicionados nas macas improvisadas pelos corredores e pelo chão mesmo, como voce sabe aqui é que nem coração de mãe sempre cabe mais um..., está faltando tudo, como voce tambe tá cansado de saber..., esparadrapo, gaze, algodão, não temos antibióticos, antihipertensivos, enfim tudo... até dipirona ta faltando. O Rx como você já sabe está quebrado desde da semana passada juntamete com tomografo que ha meses esta aguardando manunteção de rotina, o elevador está tambem quebrado, os maqueiros sumiram todos, não temos vagas nas enfermerias. Só tens umas tres auxiliares de enfermegem quase doidas varridas correndo de lando para outro atendendo nas salas de homens, de mulheres e das crianças. De médico até agora só você chegou!. Nem os acadêmicos ( sao os estudantes de medicina que seria paus para toda obra) estão na área, todos se mandaram e os academicos lotados na sua equipe nenhum ainda apareceu .Obrigado João Batista vulgo Janjão ou Branca de Neve( era o nome do chefe de equipe que estava me passando o plantão, no aumentativo pois tem quase dois metros de altura) e negro como a asa da grauna, DEPOIS DE TODOS ESSAS MARAVILHOSAS NOTICÍAS você não uma boa notícia para aliviar o meu coração? a minha pobre alma que seja!!!
- Claro meu irmão... Tá sabendo daquela enfermeira novinha de uns 19 anos, lourinha e gostosa á bessa? Aquela que você disse que casaria ? Que seria a nora que a sua mãe queria?
- A aquela que anda de nariz e rabo e que rabo... ( rapaz que rabo) empinado, metida prá caramba e não dá bola prá ninguem, a Francisnete se não me engano é o nome desse pedaço de mau caminho!... Tô sabendo...
- Pois é ... Tô comendo!
- Putzz... Ninguém merece!...

Publicado por PAULO ROBERTO SILVEIRA em 25/08/2009 às 20h42
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
24/08/2009 20h46
O TRAFICANTE PARTE II ( UM DIA DE SUFOCO)
                                            O TRAFICANTEP PARTE II
 
 
                  Para exercer a profissão de medico, em qualquer lugar do mundo e preciso ter entre vários predicados, sitio apenas alguns como : vocação, persistência, determinação. Mas quando a sua profissão e ser Perito Legista na cidadede do Rio de Janeiro, você precisa também de ter.... sorte.
                   Quando em l990, ao ler o edital de concurso para Medico  Perito Legista de III Classe da Policia Civil do Rio de Janeiro, la estava: Concurso para preenchimento de Cargos de Peritos Legistas : Necropsia.....121 vagas, Neurologia........01 vaga, Psiquiatria......01 vaga; Otorrino...01 vaga, Oftalmologia ......01 vaga, enfim para ser especialista , uma única e misera vaga. Não titubeie e escolhi sem arrependimento: Neurologia. O concurso foi efetuado num domingo no Campus da UERJ, num provão seletivo, depois conforme era aprovado, foram se fechando o funil . Prova de Medicina Legal, e prova de Neurologia. Prova Psicotécnico .
 
 
   Na especialidade de Neurologia na primeira leva de neurologista so foram aproveitados seis . (sim tinha estendido para seis vagas para a Neurologia Forense). ( Tirei a sexta qualificação). Em 1990 entraram os dois primeiros colocados , e , no decorrer da necessidade da Policia, os candidatos aprovados ficariam aguardando serem convocados,  fiquei em ritimo de espera de próxima chamada, enfim a vida e assim mesmo. Quando  a oportunidade se nos apresentou, fomos convocado para a complementação do concurso  a ser feito na Acadepol (Acadepol = Academia de Policia) que seria um curso de formação policial de três meses , que foi realizado no final do ano de l995, quase no final de validade do concurso. Em marco de 1996 ao terminarmos o curso éramos 45 médicos no total, a ter completado o ciclo do concurso para Perito Legista, ficamos aguardando a convocação definitiva, recebemos uma matricula e inclusive quem solicitou
 
 
 
 
( pois o Direito não a acoberta os que dorme) o pagamento de Cadete da Policia por ter curso 360 horas de formação policial,   Mas o tempo ia passando e nada acontecia, quando finalmente ao perceber que a máxima do Barão de Itararé estava ali, naquele momento acontecendo com a gente ( a máxima era : De onde se nada se espera, ai mesmo que merda nenhuma acontece!) Corremos atrás dos nossos interesses, e através de um madado de segurança por mim solicitado ( enfim Eu sou Advogado ! Porra!) conseguimos que o Juiz acatasse e que os 45 médicos ficariam com o direito assegurado tão logo fossem abertas vagas para perito legistas na policia, pois o chefe de policia na época em seu despacho final dissera que a policia não precisava de médicos.
 
 
 
 
 
 Anos mais tarde ao se candidatar a um cargo de Deputado Estadual,  fiz questão de procurá-lo e ao se por mim lembrado de sua assertiva , disse estar arrependido daquela finalização,  retruquei, o senhor perdeu os votos de 45 médicos e de seus familiares, o que o constrangeu sobre maneira, enfim o referido senhor não consegui seu intento eleitoral. E somente em 20 de novembro de 2000, fomos convocado e assumimos, 44 médicos pois hum desistiu , assumimos com alegria e esperança e determinação o cargo de Perito Legista III Classe , depois de dez anos do concurso . Pensei naquele momento que a minha formação em Direito, sevira pelo menos para advogar em causa própria. Eu e lógico na função de Perito Neurologista Forense, especiliadade que só existe no Estado do Rio de Janeiro, perfazendo carga horária  de 40 horas semanais.
 
 
 
 
Como sou medico tenho direito a acumulação de duas matriculas ficando então como Medico A da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil que me aposentei dia 13 de outubro de 2009 e Medico Perito Legista de II Classe como Neurologista Forense lotado no Instituto Medico Legal Afrânio Peixoto ora na Rua dos Inválidos l51 Centro, segundo andar, com promessas de em breve nos mudarmos para as novas instalações do Instituto Medico Legal na Rua Francisco Bicalho perto da Rodoviária Novo Rio. Estamos esperando a mudança , quem viver , vera..
                Como neurologista forense, cabe-nos pois somos 4 peritos e ação , a responder a solicitação de exame neurologico subsidiário ao exames de corpo de delito efetuados pelos peritos legistas de todo o Rio de Janeiro, bem como as solicitações das autoridades judiciárias como Juizes, Promotores, Defensores Públicos e lógico os Peritos  Legistas.
 
 
 
 
 
Ao chegar no meu plantão, uma segunda feira, havia uma solicitação de uma visita domiciliar ( um exame muito raro)  de um neurologista forense, solicitado pelo delegado da área, para que o mais rápido possível fosse emitido o exame subsidiário neurológico para complementar um Autos Exame de Corpo de Delito efetuado pelo Perito Legista de Campo Grande....o local era na favela  Vila Vitem local de grande influência de traficantes  armados ate os dentes e de milicianos idem ipsem idem. Na policia mandou tem que cumprir ainda mais ordem de Delegado de Policia. Na policia ordem de Delegado não e para ser discutida mas para ser cumprida o mais rápido possível sem meu pe me dói ou choradeira. Manda que tem poder obedece que tem juízo, e o nosso lema , ou em rio que tem piranha jacaré nada de costas.
 
 
 
 Meu irmão o lugar era tão barra pesada que foram destacados dois policiais armados para esse deslocamento, o motorista que chamaremos de Zé Chulapa e o outro que denominaremos Zé Armário. E com o endereço em mãos fomos pela Avenida Brasil afora, tomamos no final a direção de Campo Grande e nos dirigimos ao endereço da visita dentro da favela Vila Vitem, em com os nervos a flor da pele, olhando para tudo que e lado, a gente ia se aproximando , quando de repente a gente se deu conta que estávamos perdido, - Puta de que Pariu meu irmão, como e que nos metemos numa enrrolada destas, o motorista que jurava conhecer o pedaço como a palma da mão dele, estava mais enrolado que carretel. Pudera ! dentro da favela tudo e igual , pessoas, ruelas, caminhos e olha o quebra....molas....Paf ...Paf... a porra do carro ,
 
 
 
 
 
 
( descaracterizado : manja, placa branca de Brasília e um local no teto para colocar o bigorrilho ), aquela Luisinha que fica piscando em cima do carro da policia,  la se foi o chifre do Zé Armário, brincou o motorista Zé Chulapa como se aquela era hora de brincadeiras.... não deu outra o carro ficou preso no quebra molas que para mim deveria ser uma barricada mesmo. Quando vários elementos armados e mau encarados se aproximaram dizendo : Ai meu irmão, perdeu!.....perdeu !......perdeu.....! Mãos na cabeça e saiam do carro ! Se demorar muito abrimos fogo!
 
- Calma , calma, calma, disse eu, sou medico (estava de jaleco branco! Que foi a minha sorte, sou do Instituto Medico Legal e vim fazer uma visita domiciliar aqui na favela, aqui esta a solicitação , vocês sabem onde fica este endereço ?
 
 
 
 
- Ai doutor, gente boa, Não sei porque a sua fisionomia não me e entranha, como devo muito a um doutor que me operou certa feita,  tudo bem, depois eu me lembro. Ai Gente neguem mexe com ele, mas os outros caras parecem ser canas. Vamos queimar eles agora mesmo.
- Zé Chulapa Suando adoidado e tremendo que nem vara verde - Que que isso meu irmão, somos todos gente boa, somos do IML Centro e estamos aqui em função do que o doutor falou, fazer um visita domiciliar a um componente da comunidade falou?
- Zé Armário branco que nem cera todo tremulo tambem – Isto mesmo meu cumpadre , somos trabalhor do IML falou !
- Num tem nada disso não , aqui na favela vacilou , dançou....
Como começou a chegar muita gente, cada um, mais esquisito que o outro...me lembrei do nome do traficante chefe da área , e resolvi apelar para a lei do trafico. Solicitei então que fossemos encaminhado ao dito cujo.
 
 
 
- Não tem nada disso não .  O chefe do trafico aqui sou eu agora mano, Nos mesmo vamos resolver a parada.
E fomos os três levados para o alto do morro, onde num barraco muito do muquifado tinha na porta um negão de dois metros de altura, tipo, sujo, com um palito no canto da boca e limpando as sujas , bota suja nisso , unhas.
 - Ai Serjao, o negocio e o seguinte, o Doutor e gente boa , nada com ele, mas estes dois cablocos se perderam e para aprenderem a lição leva pros fundos e come o cu deles. Falou?
- Pode deixar que eu resolvo a parada já, já, bota os caras pra dentro que so livro a cara ou seria outra coisa, do Dr conforme vocês falaram.
 
 
 
 
 
 
La dentro do barraco, confirmando a minha impressão, sujo, uma bagunça federal, uma mesa e uma cadeira e nos fundos a pocilga onde os meus dois companheiros seriam justiçados. Meus Deus que situação.
- Olha Sr Serjao. Estes dois são dois espadas, pais de família, trabalhadores , so aconteceu esta fatalidade por puro azar! Deixa a gente ir embora que ninguém ficara sabendo de nada , poderei com toda a calmo possível.
- Não tem conversa não, ordem dada e ordem executada.
De repente a porta se abre são os mesmos traficantes, agora trazendo outro infeliz todo quebrado, esse já havia recebido o corretivo.
- Ai Serjao , este aqui e para você cortar as mãos , os pés arrancar as orelhas e o nariz, pois foi pego robando na área, e a ordem aqui no pedaço e a lei do cão.
 
 
 
- Pode botar ele ai no fundo que daqui a pouco eu cuido dele direitinho.
Serjao , curtindo o sofrimento e dor no ar e medo e angustia que imperava no recinto calmamente continuava a limpar suas sujas unhas.
 
De repente a porta se abre de novo , os mesmo caras novamente agora trazendo outro infeliz, mais estropiado que o anterior.
 
Ai Serjao este estava comendo a mulher do chefe, a ordem e faze o mesmo que fará com outro mas tem que capar primeiro pra aprender a não se meter com a mulher dos outros, e a lei do cão meu irmão, a lei do cão.
Pode deixar ele la nos fundos   que já , já, vou cuidar dele dando que ele merece....Eh! Eh !Eh!.
 
 
 
Ato continuo deixam o infeliz mais morto que vivo, e saíram batendo a porta. Dando boas gargalhadas AH! AH! AH!
Foi então que la de traz, la dos fundos, bem baixinho, bem devagarzinho eu ouvi:
 
- PSIU ! PSIU ! PSIU !SEU SERJAO, SEU SERJAOZINHO,  DESCULPE VIU, NÃO SE ABORRECA COM A GENTE MAS SO PARA NÃO CONFUDIR AS PARADAS , NOS SOMOS OS CARAS DO CU VIU?
Ai juntando todas as forcas e coragem que restavam numa situação deste   falei bem baixinho , bem devagarzinho também:
 
 
 
 
 
 AI SEU SERJAO NÃO SE ESQUECA DE LIVRAR A CARA DO DOUTOR QUE E GENTE BOA , E ESPADA TAMBEM! ORDEM DO CHEFE DO TRAFICO DA AREA QUE CERTA FEITO FOI OPERADO DA COLUNA LOMBAR E MUITO BEM OPERADO  DIGA-SE DE PASSAGEM, POR ELE ( O DOUTOR)   NO HOSPITAL GETULIO VARGAS LA NA PENHA HÁ ALGUNS ANOS ATRAZ...............
Rapaz naquele momento de sufoco, e bota sufoco nisto, meu tico e teço (nome dos dois neurônios que estavam em funcionamento naquele momento) me lembrei de onde conhecera o traficante em questão : Era o mesmo que havia operado quando fora baleado da coluna em confronto com a Policia Militar na função de neurocirurgião da Equipe Flavio Novaes cujo plantão era quinta de dia e domingo a noite no Hospital Estadual Getulio Vargas na Penha.  COMO DISSE ALAN KARDEK: COICIDENCIAS NÃO EXISTEM. O ACASO TAMBEM NÃO .
 
 
 
 
 
 
                  Para exercer a profissão de medico, em qualquer lugar do mundo e preciso ter entre vários predicados, sitio apenas alguns como : vocação, persistência, determinação. Mas quando a sua profissão e ser Perito Legista na cidadede do Rio de Janeiro, você precisa também de ter.... sorte.
                   Quando em l990, ao ler o edital de concurso para Medico  Perito Legista de III Classe da Policia Civil do Rio de Janeiro, la estava: Concurso para preenchimento de Cargos de Peritos Legistas : Necropsia.....121 vagas, Neurologia........01 vaga, Psiquiatria......01 vaga; Otorrino...01 vaga, Oftalmologia ......01 vaga, enfim para ser especialista , uma única e misera vaga. Não titubeie e escolhi sem arrependimento: Neurologia. O concurso foi efetuado num domingo no Campus da UERJ, num provão seletivo, depois conforme era aprovado, foram se fechando o funil . Prova de Medicina Legal, e prova de Neurologia. Prova Psicotécnico .
 
 
   Na especialidade de Neurologia na primeira leva de neurologista so foram aproveitados seis . (sim tinha estendido para seis vagas para a Neurologia Forense). ( Tirei a sexta qualificação). Em 1990 entraram os dois primeiros colocados , e , no decorrer da necessidade da Policia, os candidatos aprovados ficariam aguardando serem convocados,  fiquei em ritimo de espera de próxima chamada, enfim a vida e assim mesmo. Quando  a oportunidade se nos apresentou, fomos convocado para a complementação do concurso  a ser feito na Acadepol (Acadepol = Academia de Policia) que seria um curso de formação policial de três meses , que foi realizado no final do ano de l995, quase no final de validade do concurso. Em marco de 1996 ao terminarmos o curso éramos 45 médicos no total, a ter completado o ciclo do concurso para Perito Legista, ficamos aguardando a convocação definitiva, recebemos uma matricula e inclusive quem solicitou
 
 
 
 
( pois o Direito não a acoberta os que dorme) o pagamento de Cadete da Policia por ter curso 360 horas de formação policial,   Mas o tempo ia passando e nada acontecia, quando finalmente ao perceber que a máxima do Barão de Itararé estava ali, naquele momento acontecendo com a gente ( a máxima era : De onde se nada se espera, ai mesmo que merda nenhuma acontece!) Corremos atrás dos nossos interesses, e através de um madado de segurança por mim solicitado ( enfim Eu sou Advogado ! Porra!) conseguimos que o Juiz acatasse e que os 45 médicos ficariam com o direito assegurado tão logo fossem abertas vagas para perito legistas na policia, pois o chefe de policia na época em seu despacho final dissera que a policia não precisava de médicos.
 
 
 
 
 
 Anos mais tarde ao se candidatar a um cargo de Deputado Estadual,  fiz questão de procurá-lo e ao se por mim lembrado de sua assertiva , disse estar arrependido daquela finalização,  retruquei, o senhor perdeu os votos de 45 médicos e de seus familiares, o que o constrangeu sobre maneira, enfim o referido senhor não consegui seu intento eleitoral. E somente em 20 de novembro de 2000, fomos convocado e assumimos, 44 médicos pois hum desistiu , assumimos com alegria e esperança e determinação o cargo de Perito Legista III Classe , depois de dez anos do concurso . Pensei naquele momento que a minha formação em Direito, sevira pelo menos para advogar em causa própria. Eu e lógico na função de Perito Neurologista Forense, especiliadade que só existe no Estado do Rio de Janeiro, perfazendo carga horária  de 40 horas semanais.
 
 
 
 
Como sou medico tenho direito a acumulação de duas matriculas ficando então como Medico A da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil que me aposentei dia 13 de outubro de 2009 e Medico Perito Legista de II Classe como Neurologista Forense lotado no Instituto Medico Legal Afrânio Peixoto ora na Rua dos Inválidos l51 Centro, segundo andar, com promessas de em breve nos mudarmos para as novas instalações do Instituto Medico Legal na Rua Francisco Bicalho perto da Rodoviária Novo Rio. Estamos esperando a mudança , quem viver , vera..
                Como neurologista forense, cabe-nos pois somos 4 peritos e ação , a responder a solicitação de exame neurologico subsidiário ao exames de corpo de delito efetuados pelos peritos legistas de todo o Rio de Janeiro, bem como as solicitações das autoridades judiciárias como Juizes, Promotores, Defensores Públicos e lógico os Peritos  Legistas.
 
 
 
 
 
Ao chegar no meu plantão, uma segunda feira, havia uma solicitação de uma visita domiciliar ( um exame muito raro)  de um neurologista forense, solicitado pelo delegado da área, para que o mais rápido possível fosse emitido o exame subsidiário neurológico para complementar um Autos Exame de Corpo de Delito efetuado pelo Perito Legista de Campo Grande....o local era na favela  Vila Vitem local de grande influência de traficantes  armados ate os dentes e de milicianos idem ipsem idem. Na policia mandou tem que cumprir ainda mais ordem de Delegado de Policia. Na policia ordem de Delegado não e para ser discutida mas para ser cumprida o mais rápido possível sem meu pe me dói ou choradeira. Manda que tem poder obedece que tem juízo, e o nosso lema , ou em rio que tem piranha jacaré nada de costas.
 
 
 
 Meu irmão o lugar era tão barra pesada que foram destacados dois policiais armados para esse deslocamento, o motorista que chamaremos de Zé Chulapa e o outro que denominaremos Zé Armário. E com o endereço em mãos fomos pela Avenida Brasil afora, tomamos no final a direção de Campo Grande e nos dirigimos ao endereço da visita dentro da favela Vila Vitem, em com os nervos a flor da pele, olhando para tudo que e lado, a gente ia se aproximando , quando de repente a gente se deu conta que estávamos perdido, - Puta de que Pariu meu irmão, como e que nos metemos numa enrrolada destas, o motorista que jurava conhecer o pedaço como a palma da mão dele, estava mais enrolado que carretel. Pudera ! dentro da favela tudo e igual , pessoas, ruelas, caminhos e olha o quebra....molas....Paf ...Paf... a porra do carro ,
 
 
 
 
 
 
( descaracterizado : manja, placa branca de Brasília e um local no teto para colocar o bigorrilho ), aquela Luisinha que fica piscando em cima do carro da policia,  la se foi o chifre do Zé Armário, brincou o motorista Zé Chulapa como se aquela era hora de brincadeiras.... não deu outra o carro ficou preso no quebra molas que para mim deveria ser uma barricada mesmo. Quando vários elementos armados e mau encarados se aproximaram dizendo : Ai meu irmão, perdeu!.....perdeu !......perdeu.....! Mãos na cabeça e saiam do carro ! Se demorar muito abrimos fogo!
 
- Calma , calma, calma, disse eu, sou medico (estava de jaleco branco! Que foi a minha sorte, sou do Instituto Medico Legal e vim fazer uma visita domiciliar aqui na favela, aqui esta a solicitação , vocês sabem onde fica este endereço ?
 
 
 
 
- Ai doutor, gente boa, Não sei porque a sua fisionomia não me e entranha, como devo muito a um doutor que me operou certa feita,  tudo bem, depois eu me lembro. Ai Gente neguem mexe com ele, mas os outros caras parecem ser canas. Vamos queimar eles agora mesmo.
- Zé Chulapa Suando adoidado e tremendo que nem vara verde - Que que isso meu irmão, somos todos gente boa, somos do IML Centro e estamos aqui em função do que o doutor falou, fazer um visita domiciliar a um componente da comunidade falou?
- Zé Armário branco que nem cera todo tremulo tambem – Isto mesmo meu cumpadre , somos trabalhor do IML falou !
- Num tem nada disso não , aqui na favela vacilou , dançou....
Como começou a chegar muita gente, cada um, mais esquisito que o outro...me lembrei do nome do traficante chefe da área , e resolvi apelar para a lei do trafico. Solicitei então que fossemos encaminhado ao dito cujo.
 
 
 
- Não tem nada disso não .  O chefe do trafico aqui sou eu agora mano, Nos mesmo vamos resolver a parada.
E fomos os três levados para o alto do morro, onde num barraco muito do muquifado tinha na porta um negão de dois metros de altura, tipo, sujo, com um palito no canto da boca e limpando as sujas , bota suja nisso , unhas.
 - Ai Serjao, o negocio e o seguinte, o Doutor e gente boa , nada com ele, mas estes dois cablocos se perderam e para aprenderem a lição leva pros fundos e come o cu deles. Falou?
- Pode deixar que eu resolvo a parada já, já, bota os caras pra dentro que so livro a cara ou seria outra coisa, do Dr conforme vocês falaram.
 
 
 
 
 
 
La dentro do barraco, confirmando a minha impressão, sujo, uma bagunça federal, uma mesa e uma cadeira e nos fundos a pocilga onde os meus dois companheiros seriam justiçados. Meus Deus que situação.
- Olha Sr Serjao. Estes dois são dois espadas, pais de família, trabalhadores , so aconteceu esta fatalidade por puro azar! Deixa a gente ir embora que ninguém ficara sabendo de nada , poderei com toda a calmo possível.
- Não tem conversa não, ordem dada e ordem executada.
De repente a porta se abre são os mesmos traficantes, agora trazendo outro infeliz todo quebrado, esse já havia recebido o corretivo.
- Ai Serjao , este aqui e para você cortar as mãos , os pés arrancar as orelhas e o nariz, pois foi pego robando na área, e a ordem aqui no pedaço e a lei do cão.
 
 
 
- Pode botar ele ai no fundo que daqui a pouco eu cuido dele direitinho.
Serjao , curtindo o sofrimento e dor no ar e medo e angustia que imperava no recinto calmamente continuava a limpar suas sujas unhas.
 
De repente a porta se abre de novo , os mesmo caras novamente agora trazendo outro infeliz, mais estropiado que o anterior.
 
Ai Serjao este estava comendo a mulher do chefe, a ordem e faze o mesmo que fará com outro mas tem que capar primeiro pra aprender a não se meter com a mulher dos outros, e a lei do cão meu irmão, a lei do cão.
Pode deixar ele la nos fundos   que já , já, vou cuidar dele dando que ele merece....Eh! Eh !Eh!.
 
 
 
Ato continuo deixam o infeliz mais morto que vivo, e saíram batendo a porta. Dando boas gargalhadas AH! AH! AH!
Foi então que la de traz, la dos fundos, bem baixinho, bem devagarzinho eu ouvi:
 
- PSIU ! PSIU ! PSIU !SEU SERJAO, SEU SERJAOZINHO,  DESCULPE VIU, NÃO SE ABORRECA COM A GENTE MAS SO PARA NÃO CONFUDIR AS PARADAS , NOS SOMOS OS CARAS DO CU VIU?
Ai juntando todas as forcas e coragem que restavam numa situação deste   falei bem baixinho , bem devagarzinho também:
 
 
 
 
 
 AI SEU SERJAO NÃO SE ESQUECA DE LIVRAR A CARA DO DOUTOR QUE E GENTE BOA , E ESPADA TAMBEM! ORDEM DO CHEFE DO TRAFICO DA AREA QUE CERTA FEITO FOI OPERADO DA COLUNA LOMBAR E MUITO BEM OPERADO  DIGA-SE DE PASSAGEM, POR ELE ( O DOUTOR)   NO HOSPITAL GETULIO VARGAS LA NA PENHA HÁ ALGUNS ANOS ATRAZ...............
Rapaz naquele momento de sufoco, e bota sufoco nisto, meu tico e teço (nome dos dois neurônios que estavam em funcionamento naquele momento) me lembrei de onde conhecera o traficante em questão : Era o mesmo que havia operado quando fora baleado da coluna em confronto com a Policia Militar na função de neurocirurgião da Equipe Flavio Novaes cujo plantão era quinta de dia e domingo a noite no Hospital Estadual Getulio Vargas na Penha.  COMO DISSE ALAN KARDEK: COICIDENCIAS NÃO EXISTEM. O ACASO TAMBEM NÃO .
 
 
 
 
 
 

 

Publicado por PAULO ROBERTO SILVEIRA em 24/08/2009 às 20h46
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 4 de 5 1 2 3 4 5 [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras